Saiba por que a perpetuação dos valores em cenário digital esta sendo influenciada por pessoas focadas na diversidade, no respeito e no desenvolvimento de habilidade além do virtual.

Chamados de perennials ou perenes, este grupo formado por pessoas de várias idades, gêneros e localidades procura viver o presente com o auxílio da tecnologia como ferramenta para estabelecer paradigmas para o futuro.

São curiosos, antenados e insatisfeitos ao ponto de buscar soluções e alternativas para os desafios vividos dentro e fora da internet, compartilhando com todos.

Essa geração é fora da caixinha e não é definida como as outras. Ela é inserida dentro de um novo contexto onde o mix de pessoas variadas é que faz a diversidade par ser um perene.

A mentalidade que definia as gerações por excludente demografia, data de nascimento e gênero nao faz mais sentido para os que são chamados de geração perennials.

Inovação a parte, a nomenclatura dos perennials ainda gera debates, já que fica difícil definir em pesquisas e estudos grupos de pessoas tão diversificadas para entendermos melhor os comportamentos na internet e gerar insights de tendência.

Por outro lado, trabalhos de netnografia feitos pela Amazon, Netflix e Spotfy baseados em dados mais flexíveis têm sido sinônimo de sucesso para essa geração, e assim conseguido personalizar produtos exclusivos para os perennials que englobam a maioria da geração y.

De acordo com o professor Tom Dipetri da Universidade da Columbia USA, os limites dessa geração acabam sendo tratados pelos meios de comunicação que têm sucesso com essa turma não por estereótipos, e sim por hábitos.

Essa turma acaba por provar que a grande tendência do mercado está na observação de valores e hábitos diários para assim gerar insights de tendências e provocar o mercado a oferecer novos produtos e serviços para este publico.

Mas o que faz o grupo dos perenes ser top trends? O seu DNA geracional que acumula a tecnologia dos mais novos e o bom senso dos mais maduros para encontrar soluções para os desafios diários. Assim vão se agrupando em tribos agnósticas e comprometidas por buscar soluções sociais mais do que tecnológicas.

Estamos falando de gente engajada tecnologicamente ao ponto de valorizar mais as relações humanas do que o Facebook? Isso mesmo, a este grupo questiona lacunas na lei, busca oportunidades de trabalho que se adequem ao seu estilo de vida e acreditam que a questão mais atual é sim a sustentabilidade do planeta e das relações humanas.

#Perennials, além de conectados, valorizam amizades de idades diferenciadas, questionam tudo e são mimados. E se deseja essa turma como sua, quando o assunto é consumir, atenção: é bom repensar seus hábitos e empregar energia real para chamar a atenção deles, e quem sabe, fazer parte desse grupo.

Aos professores a dica é deixar de guiar para ser guiado por seus alunos. Aos pais, a troca de experiências únicas entre pais e filhos é essencial para criar pessoas preparadas para o amanhã, e para você que lê este artigo, é bom ficar atento, pois as gerações que movem o mundo agora têm a diversidade como fator principal e nao como minoria.

Por: Maria Augusta Ribeiro. Profissional da informação, especialista em Netnografia e comportamento digital. E escreve para o Belicosa.com.br.