Veja como o artista Saint Hoax incentiva vitimas a denunciarem violência domestica com ajuda da Disney.

Por: Maria Augusta Ribeiro

disney-princesa-saint-hoax-#belicosa55Tao antigas quanto os contos de fadas, são os casos de violência domestica. E artistas como Saint Hoax se apropriam desse universo como alerta a sociedade.

Com pseudônimo anônimo, o artista que faz referência ao universo de príncipes e princesas da Disney, se esconde como estratégia para evitar a própria violência.

Porém a ideia de chocar as pessoas com um princesa infantil violentada e cheia de hematomas no rosto tem um poder maior, o repensar social.

Com o objetivo de incentivar vitimas a denuncia, Saint Hoax usa a cultura pop como ferramenta para evitar que mais crianças e mulheres sejam violentadas.

violencia-domestica-#belicosa55No momento em que valores morais são debatidos livremente na sociedade o trabalho do artista é oportuno. Justamente porque usa o símbolo do machismo extremo, a mulher frágil e dependente.

Saint-Hoax-#belicosa55Na contramão do ativismo cidadão, sobem os casos de mulheres estupradas, violentadas e abusadas por quem deveria protege-la. E se fosse diferente? Ja pensou como seria ir trabalhar e ver seu chefe com um olho roxo, causado pela esposa?

Independente de como seja, a violência de qualquer gênero é crime e pode ser denunciada no Brasil pelo telefone 180.

O assunto rende! Mas as transformações sociais estão ai e repensar valores morais e a natureza de alguns contos de fadas é uma ótima maneira de protestar contra as mazelas do mundo utilizando ícones pop.

Compartilhe:






Saiba mais sobre
Comportamento Digital

Conteúdo especializado produzido por
Maria Augusta Ribeiro

Leia também



aulas online

AULAS ONLINE: A realidade que não ensina mais.

Porque as telas não auxiliam o aprendizado nas aulas online

netnografia

Netnografia: Mapeando os hábitos do consumidor on-line

Método que mistura pesquisa de mercado com internet está ajudando empresas a posicionarem

BBS

BBS Você sabe o que é isso?

BBS: Bebês, Babás e Smartphones. Tudo o que precisa saber sobre as telas