Como pessoas comuns divulgam acontecimentos, de forma colaborativa utilizando o celular.

Po:  Maria Augusta Ribeiro

Com um smartphone na mão e uma conexão na Internet qualquer um é capaz de relatar a realidade ao seu redor, no momento em que ela acontece. O chamado jornalismo cidadão caiu no gosto popular e ameaça a mídia tradicional.

jornalismo1-cidadao-#belicosa55Resultado do avanço tecnológico, esta nova forma colaborativa de narrar histórias questiona o velho modelo de mídia. Devemos prestar atenção em quem? No tradicional o
u no alternativo?

Cansados dos moldes antigos de jornalismo, cheios de produção e cortes, a população se mobiliza para ser voz ativa. Relata problemas, compartilha soluções e promove reportagens em primeira mão.

Redes sociais, blogs e canais do Youtube se tornam populares, contrapondo a mídia tradicional com pontos de vista mais próximos do cidadão.

O jornalismo cidadão ainda causa dúvidas se é ou não jornalismo de fato, já que muitos destes contadores de histórias têm outra formação.

web-journalism-#belicosa55Mas a ação colaborativa de se comunicar por outros meios é real, disseminando informações úteis,  efetivas e de fácil acesso. E duas ideias sobre este formato de mídia são maiores: Reclamar menos e a de ser real.

Para quem deseja se engajar na ideia do jornalismo cidadão, fazer grupos de debates as políticas públicas, incentivar trabalhos escolares utilizando a imprensa alternativa, e participar de programas de rádio pelo Whatsup são boas formas de começar.

#Belicosa55

Compartilhe:






Saiba mais sobre
Comportamento Digital

Conteúdo especializado produzido por
Maria Augusta Ribeiro

Leia também



#netnografia

Pai, você presta atenção ao tempo de tela do seu filho?

Porque o pai é o responsável pela tecnologia absorvidas pelas crianças em casa

netnografia

Belicosa: A força da Netnografia no Séc. XXI

Saiba quais as vantagens dessa pesquisa que busca ouvir o consumidor online

#maturidadedigital #telanamao #criancasetelas #maturidade #belicosa

Seu filho tem maturidade para ter uma tela na mão?

Saiba porque crianças menores de 10 anos não tem maturidade necessária para administrar o