Como um grupo do bem promove o desenvolvimento sustentável de países pobres utilizando a água.

Por: Maria Augusta Ribeiro

Uma em cada 10 pessoas no mundo não tem acesso a água potável. Foi pensando nisso que uma organização resolveu colaborar para que todas as pessoas muito pobres tenham acesso a água ate 2030.

water-aid,#belicosa55Educando, colaborando e envolvendo comunidades em torno do bem comum, a Water Aid promove saneamento básico, água potável e inclusão sustentável para milhões de pessoas.

Utilizando praticamente tudo ao seu alcance, estimulam pessoas a práticas de higiene adequadas, constroem banheiros e poços artesianos.

vart_arbete_feature-water-aid,#belicosa55Contam com o apoio de grupos, parceiros e do cidadão comum, em cada local que vão em busca de transformação de ambientes, onde a principal causa de mortalidade é a falta de água potável.

 A ONU, celebridades e fundações sérias apoiam a iniciativa, que tem metas ambiciosas em defesa do desenvolvimento sustentável.

water-aid-#belicosa55Podem ser feitas doações online, grupos de promoção e arrecadação de fundos, e ainda eventos públicos, para garantir mais água potável a mais famílias.

É importante ressaltar que todo o projeto tem um planejamento prévio, que identifica líderes locais que recebem treinamento para que as ações de conscientização sobre higiene e utilização da água sejam perpetuados.water-aid-#belicosa55

Faça uma doação: é online, segura, e pode garantir água potável e banheiro a muita gente que adoece por falta de um pouco de civismo.

Compartilhe:






Saiba mais sobre
Comportamento Digital

Conteúdo especializado produzido por
Maria Augusta Ribeiro

Leia também



telas

Será que sou dependente das telas?

Saiba porque a tecnologia esta criando gerações dependentes das telas

jogos online

Jogos online: vilão ou mocinho?

A exposição aos jogos online está oferecendo mais riscos do que benefícios?

netnografia

Netnografia: 3 Formas de analisar o comportamento do consumidor

Metodo de pesquisa digital vai ajudar o empreendedor a entender o consumidor -netnografia